Notícias

Funprev divulga resultado da carteira de investimentos em 2022


Nº 884 13/01/2023

capa

A Fundação de Previdência dos Servidores Públicos Municipais Efetivos de Bauru (Funprev) apresenta o resultado consolidado de sua carteira de investimentos referente ao ano de 2022. Os rendimentos das aplicações financeiras da Fundação foram de 2,92%, enquanto a meta atuarial no período era de 10,81%. Já a meta gerencial, que mede a possibilidade média de retorno diante das opções de investimentos previstas na Política de Investimentos, ficou em 3,56%. 

Com um rendimento de R$ 13.400.131,18 ao final de 2022, a Funprev chegou ao terceiro ano consecutivo em que sua carteira de investimentos não atingiu a meta atuarial. Determinada pelo Ministério do Trabalho e Previdência (MTP), a meta atuarial é constituída pela variação da inflação oficial do governo, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acrescida de uma taxa de juros pré-definida por portaria da Secretaria da Previdência Social. Dados oficiais do IBGE apontam que o país fechou 2022 com alta de 5,79% na inflação. 

Com base nos resultados da carteira em 2021, a Fundação possuía disponível cerca de R$ 512 milhões para aplicações financeiras. No entanto, a legislação limita os percentuais a serem aplicados pelos Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS) no mercado financeiro. Há também dificuldades em realizar realocações em fundos com saldos provisionados, devido a execução orçamentária. 

Apesar do órgão ter destinado a maior parte possível de seus recursos disponíveis em fundos mais conservadores, como o CDI, a crise econômica global, desencadeada pela pandemia, a guerra entre Rússia e Ucrânia e o ambiente político conturbado internamente nos últimos anos, em especial em 2022 com o período eleitoral, acabou afastando os investidores, cenário este que afetou negativamente todos os RPPS do país, em maior ou menor escala, dependendo da composição de cada carteira. Para 2023 a intenção é manter a posição conservadora. 

Outro fator complicador foi a descapitalização da carteira já que a entidade precisou resgatar mensalmente durante o ano, aproximadamente R$ 6 milhões dos investimentos para pagar os benefícios dos segurados, entre aposentados, pensionistas e servidores ativos. 

Para o processo de elaboração da avaliação atuarial de 2023, os rendimentos obtidos com as aplicações em 2022 serão essenciais. Apesar disso, a expectativa da Fundação é de resultados superiores ao do ano anterior. 



PROCESSO DECISÓRIO 
Para as decisões das aplicações financeiras, a Funprev possui um Núcleo de Gerenciamento de Investimentos, composto por um economista pertencente ao quadro efetivo, com dedicação exclusiva aos assuntos relacionados às aplicações. 

A entidade conta também com um Comitê de Investimentos, órgão auxiliar e consultivo, formado por cinco servidores efetivos que possuem capacitação técnica e certificação exigida em legislação federal para atuação na área de investimentos. 

As deliberações sobre as aplicações são responsabilidade do Conselho Curador e a fiscalização dos atos pelo Conselho Fiscal. A Funprev dispõe ainda de reuniões periódicas com as Instituições Financeiras e pareceres por parte da empresa de consultoria especializada contratada.

469606_20230113.jpg